Motoristas por aplicativo protestam contra regulamentação na Câmara de Vereadores de Teresina
29/11/2018 15:33 em Tecnologia

Dezenas de motoristas por aplicativo voltaram à Câmara de Vereadores de Teresina, nesta quinta-feira (29) para protestar contra a o projeto de regulamentação da categoria, que está em discussão na Casa. A grande movimentação de veículos causou lentidão na Avenida Marechal Castelo Branco durante o início da manhã.

 

Os motoristas se reuniram nesta quinta-feira (29) para assistir a uma sessão da Comissão de Constituição e Justiça que deve discutir a pauta. Entretanto, a sessão está marcada para acontecer na sexta-feira (30).

 

A grande movimentação de motoristas causou lentidão na Avenida Marechal Castelo Branco durante as primeiras horas da manhã de quinta-feira. O trânsito voltou a fluir normalmente por volta das 9h.

 

A divisão técnica da Câmara dos Vereadores emitiu parecer rejeitando a proposta do prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), por considerar o projeto inconstitucional. O projeto de lei precisa ser analisado na comissão da Casa Legislativa para só depois seguir para apreciação em plenário pelos vereadores.

Um dos pontos mais questionados da proposta é a limitação do número de motoristas por aplicativo que poderiam operar em Teresina. O presidente do Sindicato dos Motoristas por Aplicativo do Piauí, Igor Machado, argumenta que já é feita uma limitação pelos próprios aplicativos, e que a mudança tiraria o sustento de dezenas de famílias.

 

 

“O aplicativo é 24h, sempre tem que ter motoristas rodando. Por que acontecem os preços mais altos? Quando tem alta procura e poucos motoristas”, disse Igor Machado. Segundo ele, há cerca de 7500 motoristas por aplicativo registrados em Teresina, que atendem a 300 mil usuários.

 

Já para os taxistas, a limitação do número de motoristas por aplicativo poderia dividir o mercado entre as duas categorias. Para o taxista Ronaldo Rocha, a quantidade de motoristas por aplicativo em Teresina é muito alta. “Nós taxistas somos 2040 em Teresina, enquanto de aplicativos tem 7500. Então está uma concorrência desleal. Acho que seria normal que fossem a mesma quantidade de taxis”, disse.

COMENTÁRIOS